Páginas

16 de abr de 2012

A Carne

Quando se trata de carne, a vida oferece uma contraditória interpretação entre as duas carnes que a natureza doou e que, de uma maneira ou de outra, têm seu grande consumo garantido no mercado. Uma, regulada pela saúde pública, que, alimentando o estômago, leva-nos à gulodice; a outra, ditada pela força filosófica do 9º. mandamento da Bíblia, sustenta o espírito e nos transporta ao Paraíso.
Mas há também uma espécie de paraíso na carne do primeiro tipo: o paraíso do paladar. Quem resiste a um belo churrasco, a um suculento filé ou aos assados caseiros?
Mas mesmo a carne, que nos é tão familiar, requer muita atenção e cuidados especiais. Aqui vão algumas dicas que podem ser de muito valor. Mas só para a carne do primeiro tipo. Quanto à outra... cada qual que ache as suas próprias dicas...
CLASSIFICAÇÃO DAS CARNES — As carnes chamadas de segunda são assim classificadas, comercialmente, apenas porque são menos macias que o filé, a alcatra e o contrafilé, considerados carnes de primeira; mas são todas igualmente ricas e nutritivas.
A carne chamada de terceira também é rica em proteínas, e poderá ser tão saborosa quanto as outras.
São consideradas:
Carnes de primeira — coxão mole (chã de dentro), patinho, lagarto, alcatra, contrafilé, filé e filé mignon.
Carnes de segunda — paleta, acém, aba, capa de filé e peito.
Carnes de terceira — ponta de agulha (costelas), pescoço, músculos, ossobuco.
COMO CONHECER UMA CARNE FRESCA — Há 3 tipos de carne: a de vaca, a de vitela ou de carneiro, e as carnes brancas.
A carne de vaca de boa qualidade conhece-se pela cor vermelho-púrpura; os ossos são rosados.
As de vitela ou de carneiro são rosa-vivos, e sua gordura ou sebo, bem brancos.
As chamadas carnes brancas (cabrito, leitão etc.) têm carne pálida, e os ossos são de um branco leitoso.
AMACIAR CARNES CRUAS — A carne que veio hoje do açougue não é nada macia e um bife nessas condições ninguém conseguirá comer. Não deixe que à mesa percebam que esta carne não é uma alcatra e muito menos um filé.
As enzimas mais usadas para amaciar carnes são: a papaina de mamão e a bromelina de abacaxi.
Para amaciar, use um dos seguintes procedimentos:
Ponha no tempero algumas gotas de leite de mamão.
Misture aos bifes temperados alguns pedaços de mamão verde, ou perfure-os com um garfo, colocando sobre eles folhas perfuradas de mamão.
Corte fatias finas de abacaxi e coloque-as sobre os bifes.
Também misturar aos bifes duros e temperados um pouco de mamão verde ralado (temperar de véspera).
Esfregue suco de lima, ou de laranja azeda, por toda a carne, algum tempo antes de levá-la ao fogo.
Mas poderá também tapear derramando sobre os bifes crus um pouco de conhaque, deixando repousar por algum tempo antes de usar. Não tenha receio porque o conhaque não altera o gosto e a carne ficará bem macia.
Ou, ainda, jogue sobre eles um pouco de refrigerante tipo cola.
A pinga pode substituir o conhaque; é muito mais barata e... quem é que não tem em casa uma garrafinha de pinga?
O presunto ou o toucinho duros poderão ser amaciados quando colocados por alguns minutos em água quente.

(continua)...

Nenhum comentário:

Postar um comentário