Páginas

16 de abr de 2012

Legumes e Verduras

Ao nos depararmos com uma horta, onde cada legume tem seu lugar certo e cada verdura seu canteiro próprio, temos a impressão de estar diante de um jardim.
A simetria das linhas, contrastando com o matizado dos verdes, por vezes quebrado pelo vermelho de um tomate ou pelo branco da couve-flor, forma em seu conjunto um quadro que nos deslumbra, embora estejamos acostumados a vê-lo por esses caminhos afora.
No caso de uma verdura como o espinafre, celebrizado nas deliciosas histórias do marinheiro Popeye, esta ganhou tanta popularidade que passou a ter sua quota diária incluída nas papinhas dos nenens, pois as mamães passaram a ver no espinafre o "Tarza" das verduras.
Aos legumes e verduras creditamos um pouco da energia de nossas vidas, obtida nas vitaminas que o alfabeto classificou; e a indústria, inspirando-se na beleza de sua policromia, acrescentou alguns de seus nomes às cores do arco-íris, para com elas tingir, colorir e dar nova vida às nossas roupagens.
Quando for usar legumes que estiveram guardados na geladeira, deixe-os voltar à temperatura normal antes de serem levados ao fogo; cozinham mais depressa e não perdem nada do seu sabor. Devem ser cozidos até ficarem macios, porém com os pedaços inteiros e perfeitos, principalmente se forem destinados à salada. Neste caso, habitue-se a
escaldá-los em água fria assim que forem escorridos; isto ajudará a deixá-los mais soltinhos
e coloridos.
Legumes que já não estão muito frescos melhorarão se forem colocados em água fria antes de serem lavados e cortados, repousando assim pelo menos por 1/2 hora.
Habitue-se a acrescentar 1 colherzinha de açúcar ao cozimento dos legumes, para que não percam seu colorido.
ABÓBORA—A abóbora só não dá bicho quando plantada nos meses que não têm R no nome (maio, junho, julho e agosto).
Ao comprar uma abóbora, rejeite as que tiverem manchas marrons; estas já não são novas e podem estar estragadas.
AGRIÃO — Não deve ser consumido o agrião que cresce junto a águas paradas ou de pouco movimento, pois a eles podem prender-se insetos aquáticos, portadores do tifo.
O uso prolongado do agrião tem efeito depurador do sangue, é antiescorbútico.
AIPIM ou MANDIOCA — Quando não for muito novo e estiver demorando para amolecer no fogo, adicione ao seu cozimento 1 xícara de água fria. O aipim deve ser plantado naLua minguante; e os melhores são os colhidos nos meses que não têm a letra R no nome.
Depois de colhida (ou comprada) a mandioca, se quiser guardá-la por uns 8 dias (ou mais), faça com que elas se conservem fresquinhas enterrando-as em algum canteiro do quintal. Quando desenterrá-las, verá que estarão como se tivessem sido colhidas na hora.
AIPO ou SALSÃO — Para conservá-lo sempre fresco, assim como suas folhas, depois de lavado, coloque-o de pé numa jarra contendo água e 1 pitada de sal, e guarde na geladeira.
Ao prepará-lo no fogo, não deixe de colocar na sua água um pouquinho de açúcar, pois ficará lindo e não alterará seu paladar.
ALCACHOFRA — Na hora de comprar uma alcachofra, verifique se ela está boa para o consumo; a alcachofra está ainda verde quando seu talo está muito duro; passada, isto é, já meio velha, quando o talo estiver mole e quebradiço; porém se o talo da alcachofra estiver levemente flexível, ela está no ponto, prontinha para ir para a panela.
Mas deixe que a alcachofra conserve sua bonita cor depois de cozida, fazendo assim: antes de levá-la ao fogo, deixe-a ficar de pé, de molho, por 1 hora, em água fria contendo 1 colher (sopa) de vinagre.
Ou, então, deixe sua ponta cortada submersa em suco de limão.
E, para evitar que o fundo da alcachofra escureça durante o cozimento, adicione à água um pouco de suco de limão e 1 colherzinha de manteiga.
Conservação. Ao guardar uma alcachofra crua, evite que ela murche, e conserve-a fresca, enrolando-a em um pano bem úmido e colocando-o dentro um saco plástico fechado, guardado na geladeira. Assim, ela poderá durar até 5 dias.
ALCAPARRA — Para o sabor das alcaparras ficar bem mais suave, escorra-as depois que forem retiradas do vidro e deixe-as de molho em vinho branco por ra; isso vai tirar todo o acre do vinagre.
ALFACE—Ao desfolhar um pé de alface para usar, não jogue fora suas primeiras folhas, só porque estão verde-escuras. Elas são até mais fortes do que as bonitinhas que estão por dentro. Quanto mais verdes, mais vitamina C contêm.
Mas, se você vai querer tirar o meio inteiro do pé de alface (o "coração"), bata o fundo da alface, com força, sobre a pia; em seguida, é só torcê-lo que ele sairá facilmente.
Sempre que for usar uma alface (principalmente se ela estiver murchinha, mas não ainda velha), habitue-se primeiro a lavar suas folhas e a deixá-las mergulhadas em água fria, por mais ou menos 1/2 hora. Então, escorra toda a água e sacuda bem as folhas, uma a uma, para ficarem sequinhas. Coloque então na geladeira, até a hora de servir. Verá como ficarão fresquinhas, estalando como novas.
Também poderá passá-las rapidamente em água quente e, depois, deixá-las de molho em água gelada; em seguida, proceda como na dica anterior. Esse mesmo procedimento se usa para agrião.
Conservação. Para se conservar bem um pé de alface por alguns dias, use qualquer dos seguintes procedimentos:
Borrife a alface com água, e embrulhe-a em um pano ou jornal molhado com água, tendo o cuidado de manter essa umidade até o momento de usá-la.
As folhas também se conservarão como novas se forem guardadas na geladeira, tendo, por perto delas, 1 limão partido.
Muito bom, também, é retirar as folhas velhas, lavar e escorrer muito bem, colocá-las dentro de uma caixa plástica ou vasilha plástica com tampa bem fechadas e deixar na geladeira.
ALHO-PORÓ — Se quiser guardar esta verdura por algum tempo (3 a 5 dias) coloque-a dentro de um saco plástico fechado e conserve na geladeira, resguardado da umidade.
ASPARGO — Se os aspargos frescos que estão guardados ficaram moles, reviva-os, colocando-os de pé, dentro de um recipiente fundo (uma jarra, por exemplo), contendo água gelada. Cubra tudo com um saco plástico e leve à geladeira por 1/2 hora.
Em seguida, leve-os a cozinhar.
Se for usar aspargos de lata, ao retirá-los evite que eles se quebrem e estraguem suas pontas, abrindo a lata pelo lado contrário (fundo) e puxando os aspargos por baixo.
Assim, eles vão ficar perfeitos.
ALMEIRÃO — Para quem gosta do seu amargor, deve-se antes dar uma fervura e jogar fora essa primeira água; na segunda, juntar 1 colherzinha de açúcar.
AZEITONA—As de paladar muito forte só devem ser adicionadas aos recheios no último momento, ou melhor, assim que eles forem retirados do fogo. Isto ajudará a evitar que os recheios fiquem amargos e escurecidos.
BERINJELA — Não devem ficar expostas ao sol. Ao comprá-las, prefira as que estiverem rijas, pois as enrugadas e murchas são sempre amargas.
Antes de usar as berinjelas, corte-as ao meio no sentido do comprimento e deixe-as de molho por alguns minutos em água fria salgada, com a parte cortada mergulhada nessa água. Depois, lave e empregue.
Elas ficarão ainda mais clarinhas se for colocado um pouco de leite na sua água salgada.
Um processo também muito bom para que ela não escureça é colocar na água, onde ficará de molho, um pouco de suco de limão.
BETERRABA — As menores são mais gostosas, e as lisas, sem manchas, melhores.
As beterrabas devem ser cozidas com casca e um pedacinho do talo; adicione também 1 pitada de açúcar, para conservar a cor viva e apurar seu paladar.
Para as beterrabas não mancharem as saladas às quais vão ser misturadas, depois de cozidas e frias coloque-as no congelador, apenas para ficarem bem geladas (não deixar congelar). Então, empregue.
BRÓCOLIS — Quantas vezes acontece de estarmos comendo uma deliciosa salada de brócolis e encontrarmos no meio deles um ou mais bichinhos que tiram instantaneamente nosso apetite. Evite essa circunstância desagradável cuidando um pouco mais desta verdura antes de prepará-la. Para que se soltem os bichinhos que se agarram no meio do brócolis (assim como também na couve-flor), depois de lavado mergulhá-los por algum tempo em água salgada. Quando despejar essa água, verá que estará cheia de bichinhos.
Não use o brócolis que estiver amarelado; prefira também os de cabeça compacta.
Ao cozinhar esta verdura, faça-o como com a couve-flor, para evitar que exale mau cheiro pela casa Os caules do brócolis vão cozinhar muito mais depressa (olhe que economia de gás!) se antes de irem para a panela fizermos neles um X de cima para baixo.
CENOURA — Ao escolher cenouras para comprar, prefira as lisas e sem curvas; são as melhores. Também escolha as que não tiverem a parte escura em cima; mas se não tiver outro jeito, despreze essa parte escura para não amargar o seu ensopado.
CHAMPIGNON — COGUMELO — Aí está uma coisa deliciosa, fina e de sabor delicado. Mas só devem ser comidos se conhecermos sua procedência ou se os soubermos comprar. Quando tiver dúvidas sobre se estão realmente frescos, leve-os ao fogo numa panela com água colocando dentro dela uma colher de prata (tem que ser prata mesmo) e deixe ferver por alguns segundos. Se a colher pretejar, jogue-os fora sem pena, porque assim estará se livrando de um envenenamento; mas, se a colher estiver brilhando como antes, aproveite-os para acompanhar um bom prato, porque ao preço que estão não são para se comer todos os dias.
Os cogumelos ou champignons frescos não escurecem e poderão ser guardados por alguns dias desde que se proceda da seguinte maneira: lave rapidamente, ou limpe com um paninho úmido, os champignons (meio quilo); coloque-os numa panelinha com um copo de água fria e outro copo de vinho branco seco. Tampe a panela, leve ao fogo e, quando começar a ferver, conte três minutos. Apague então o fogo e deixe esfriar completamente com a panela tampada. Despeje tudo em vidro bem fechado e guarde na geladeira até o momento de ser usado. Poderá durar alguns dias.
Notar. É muito importante, desde que se leva a panela tampada ao fogo, não mais abri-la até o momento em que esteja bem frio.
CHICÓRIA — Se você não aprecia o amargor típico dessa verdura, em vez de deixá-la de molho numa vasilha lave cada folha em água corrente, que seu gostinho amargo irá desaparecer.
Mas, se a chicória for usada em salada crua, seu amargor vai desaparecer misturando a ela, antes de temperar, 1 colher bem cheia de miolo de pão bem esmigalhado.
Com a chicória também se faz um ótimo xarope expectorante, ótimo para quem tem bronquite.
CHUCHU — Para não ficar com as mãos pegajosas, ao descascá-los, parta-os ao meio, no sentido do comprimento, e esfregue uma metade na outra, fazendo com que o leite saia pelos lados. Depois é só cortá-los e empregar. Ou unte as mãos com óleo de cozinha.
Poderá também, se preferir, antes de cortar o chuchu, mergulhá-lo em água fervente por segundos. Corte-o e descasque-o.
COUVE — Não use as que têm pintas amarelas ou que estejam completamente amareladas.
Mas se estiverem verdes, porém um pouco murchas, deixe-as com cabos mergulhados dentro de água fria por mais ou menos 1/2 hora. Ela ficará novamente fresquinha, como se tivesse sido colhida na hora.
COUVE-FLOR — Antes de lava*, deixe alguns minutos de molho em água com um pouco de vinagre, para soltar as impurezas ou bichinhos que porventura estiverem agarrados a ela.
Esta verdura, assim como o brócolis e o repolho, exala um cheiro muito forte e desagradável enquanto está cozinhando. Para evitar isso, coloque dentro da panela, durante o cozimento, um pedaço de pão; se não tiver pão, coloque uma rolha de cortiça.
Poderá ainda cobrir a panela com um guardanapo molhado em vinagre. Não use tampa.
Para que a couve-flor fique branquinha após ter sido cozida, ponha na água do cozimento 1/2 xícara (café) de leite e 1 colherzinha de açúcar para os talos ficarem verdinhos.
Colocando um pouco (1 colher de sobremesa) de farinha de trigo na sua água, a couve-flor vai ficar também bem branquinha e macia, além de amenizar seu forte odor.
ERVILHA FRESCA — Devem ser cozidas rapidamente em fogo forte; e não se esqueça da pitadinha de açúcar.
Ervilhas ficam mais tenras e com um sabor requintado quando fervidas por alguns minutos em água gasosa.
Aqui vai mais um segredinho para que as ervilhas frescas fiquem tenras e frescas: cozinhe as ervilhas em água fervente e com sal; quando elas estiverem macias, escorra e jogue-as imediatamente numa vasilha previamente contendo água gelada e com cubos de gelo, deixando por alguns minutos. Então, escorrer. Elas podem ser usadas logo em seguida, ou guardadas na geladeira dentro de um vidro ou recipiente bem fechado.
Sopa de ervilhas — Quando for preparar uma sopa de ervilhas (secas), o que dentro de sua panela uma fatia de pão. Assim, as ervilhas não afundam e não grudam no fundo da panela.
ESPINAFRE — Perde um pouco do seu sabor ácido se colocarmos 1 pitada de açúcar na água do cozimento.
JILÓ — Muitas pessoas não toleram o jiló por causa do gosto amargo, característica desse legume. Para melhorar seu sabor e sua aparência, isto é, para que não fique escuro, faça o seguinte: com uma faca inoxidável vá descascando e cortando — de um a um — cada jiló em fatias ou pedaços, deixando-os cair dentro de uma tigela contendo água, cubos de gelo, sal e suco de limão. Quando terminar, deixe-os ficar de molho por 20 minutos. Depois é só prepará-los do jeito que mais gostar.
Os jilós verdinhos podem substituir os figos verdes feitos em compotas; basta que coloque dentro da panela (na calda) do doce de jiló umas 3 a 4 folhas de figueira.
Todos quererão repetir esse delicioso "doce de figos verdes".
MILHO CRU — Saiba escolher uma espiga de milho verde: uma espiga nova tem os grãos amarelo-claros e são, portanto, macias, o que não acontece quando a cor amarela for bem forte. Poderá saber se uma espiga é nova fincando a unha do polegar em seus grãos: se a unha penetrar facilmente e aparecer um pouco do seu líquido, pode comprar; caso contrário, rejeite-a.
Quando tiver que limpar espigas de milho frescas não fique catando seus cabelos, fio por fio. Será bem mais fácil limpá-las esfregando-as de cima para baixo com uma toalha de papel absorvente úmida; ou uma toalha comum também úmida.
Se preferir, pode esfregar com uma escovinha (pode ser de dentes).
Se quiser guardar espigas de milho frescas por alguns dias, coloque-as inteiras e com as cascas numa vasilha com água —com as extremidades voltadas para cima — e guarde na geladeira.
Vão ficar como se fossem colhidas na hora.
MILHO COZIDO — Se tiver algumas espigas de milho verde em casa e não estiverem muito novas, mas mesmo assim desejar comê-las cozidas, faça o seguinte: coloque primeiramente a panela com água no fogo e espere até que ferva; só então coloque as espigas a serem cozidas. Deixe para colocar o sal apenas quando faltarem uns 5 minutos para retirá-las do fogo. Verá que apenas isso fará com que fiquem tenras e saborosas, e o que é ainda mais importante: leva quase o mesmo tempo que as novas para cozinhar.
Esse mesmo processo vai fazer com que qualquer espiga de milho cozinhe mais depressa.
E se quiser que as espigas de milho fiquem bem bonitas, de cor amarelo-vivo, depois de prontas, faça o seguinte: quando o milho já estiver no ponto, jogue dentro de sua panela 1 colher (sopa) de suco de limão, e aguarde apenas 1 minuto.
E... veja como sua aparência ficou bem mais apetitosa.
E... pode retirar e saborear, mas nada de comer com muita pressa para não queimar a boca.
Angu de fubá — Fazer um angu de fubá não é tão fácil como parece. Ao leválo ao fogo, mexa sempre a panela, fazendo com a pá (ou colher de pau) a forma de um oito.
Assim, ele ficará bem mexido e bem cozido.
Enquanto o angu de fubá estiver no fogo deverá ser bem vigiado porque poderá queimar. Se isso acontecer, não fique blasfemando e nem pense em jogá-lo fora.
Coloque imediatamente a panela destampada dentro de um recipiente maior contendo um pouco de água fria e espere alguns minutos, até que tenha saído toda a fumaça, porque com ela terá saído o cheiro e o gosto de queimado. Transfira então o angu para outra panela, desprezando o fundo queimado, e... bom apetite.
Outra maneira para se tirar o queimado do angu é botar um pouco em cima de uma mesa ou pia e colocar a panela sobre esse pouco de angu. Depois, proceder como acima.
Curau — Ao levar ao fogo a panela contendo o caldo extraído do milho para fazer o curau é necessário que, desde o princípio, se mexa com colher de pau, virando sempre numa só direção, para que este "não volte", ou "desande"; só assim ele engrossará.
Pipoca — Quem tem criança em casa vira e mexe está comprando milho para fazer pipoca. Escolha sempre um milho de boa qualidade, pois só assim eles renderão bastante e todos os grãos serão aproveitados.
O milho se conservará fresco e não terá muitos piruás se for guardado no congelador. Ou então deixe-o de molho em água gelada antes de fritar.
E agora, veja como é fácil estourar pipocas: coloque uma panela média no fogo contendo óleo (não muito pouco) e deixe aquecer bem.
Estando quente, coloque 1 punhado de milho e tampe a panela, mexendo de vez em quando. Num instante os grãos começarão a estourar (só destampe a panela quando pararem de estourar).
Depois de prontas coloque sal e... sirva-se à vontade acompanhado também de um bom aperitivo.
PALMITO — Deve ser cortado com faca inoxidável e não pode encostar em nada feito de ferro, para não ficar escuro. Para que ele não escureça, deve-se também juntar à água do seu cozimento 1 colherzinha de limão e usar, de preferência, panelas esmaltadas ou refratárias.
PEPINO — Atenue seu gosto amargo, mergulhando-os por alguns instantes em leite morno açucarado; em seguida corte-os. Não se esqueça de que, antes de descascálos, deve-se cortar suas pontas e esfregá-las no próprio pepino.
O pepino vai ficar muito mais digestivo, comendo com ele, também, um pedaço de sua própria casca.
PIMENTA — Quando desejar um paladar mais acentuado da pimenta-malagueta, misture a ela um pouco de azeite de oliva. Se, ao contrário, desejar atenuar o gosto, deixando-o mais suave, use então um pouco de vinagre.
PIMENTÃO — Este legume, a acelga e outros vegetais do gênero se conservarão melhor na geladeira se forem embrulhados em folhas de jornal.
O pimentão ficará muito mais digestivo se, antes de prepará-lo, tirarmos sua película; isso poderá ser feito, espetando-o num garfo e passando-o demoradamente na chama do fogo.
Sua casca também vai sair com facilidade, untando-o com azeite e óleo e colocando-o sobre uma chapa bem quente. Quando formar bolhas, é só raspar com a faca.
QUIABO — Para quem não gosta da gosma (baba) do quiabo, pode-se eliminá-la das seguintes maneiras:
1) Antes de cortá-los ou molhá-los, esprema sobre eles 1 a 2 limões, revolva-os bem para que recebam bastante suco, deixe-os assim descansando por vinte minutos.
Depois lave, enxugue bem e corte-os; não precisa mergulhá-los mais na água.
2) Lavá-los e enxugá-los bem antes de serem cortados; durante o cozimento, juntar 1 colher (sopa) de vinagre.
RABANETES e NABOS — Conservam-se frescos se mergulhados com as folhas — e não com as raízes — dentro da água.
REPOLHO — Os repolhos menores e branquinhos são mais tenros. Ao refogar repolho acrescente ao seu cozimento um pouquinho de leite, e ele ficará claro e macio. Para eliminar o forte odor do repolho quando está cozinhando, proceda como no caso da couve-flor. Ou ponha umas rodelas de limão.
REPOLHO ROXO — Para conservar a cor do repolho roxo, assim como da beterraba, adicionar à água em que serão fervidos umas gotinhas de limão ou de vinagre.
Se quiser guardar repolho cru por alguns dias retire primeiro as folhas estragadas (se houver) e guarde-o — sem lavar nem molhar — dentro de um jarro plástico bem fechado. Pode também embrulhá-lo muito bem em papel vegetal ou papel alumínio.
Assim ele durará até 8 dias.
SALSA e CEBOLINHA—Antes de guardar na geladeira, queime bem as partes onde foram arrancadas na chama do fogo. Isso lhes dará vida mais longa. Também durarão muito mais se forem logo picadinhas e guardadas em um vidro fechado na geladeira.
A salsa e cebolinha vão se conservar frescas umedecendo-as e embrulhando-as em jornal também bem umedecido com água; manter essa umidade até quando tiver que usá-las. E se for para guardar por uns 2 dias, se elas estiverem bem fresquinhas, basta deixálas de pé dentro de 1 copo com água, mudando-a todo dia.
TOMATE — Conservação — Se tiver que guardar alguns tomates maduros fora da geladeira, coloque na parte onde se arrancaram os cabinhos um pouco de farinha de trigo.
Assim, se conservarão frescos e durarão por algum tempo.
Os tomates também podem ser guardados, durando até por 1 mês, se forem colocados bem secos dentro de um saco plástico e cobertos com farinha de trigo.
Fechar bem o saco e guardar na geladeira em lugar onde não pegue umidade.
Mas, se tiver grande quantidade de tomates, pode guardá-los por tempo indeterminado, ou mesmo indefinidamente, colocando-os dentro de um vidro de boca larga com sal, água e vinagre suficientes para cobri-los bem (100 g de sal para cada litro de água e 1 décimo de vinagre).
Em seguida, regue com azeite doce até formar sobre a água uma camada para impedir a entrada de ar. Tampe bem o frasco com papel atado com barbante ou com papel alumínio bem amarrado.
Amadurecer — Se quiser que os tomates, ainda meio verdes, amadureçam mais depressa, coloque-os dentro de um saco plástico (fazer nele alguns furinhos, pode colocar junto com eles, também, uma maçã madura. Deixe guardado em lugar fresco.
Mas, se acontecer de os tomates estarem muito maduros e moles para serem cortados e usados em saladas, mergulhe-os por alguns minutos em água fria salgada.
Massa (extrato) de tomate—Ao abrir uma lata de massa de tomate, bata primeiro, com força, o seu fundo sobre uma superfície dura; assim, ao furá-la com o abridor vai evitar que a massa transborde.
Se não for usar toda a massa da lata, transfira-a para um recipiente de louça ou de vidro, tampe bem e guarde na geladeira. Se não for usá-la logo, antes de fechar o vidro cubra a massa com um fio de azeite ou de óleo.
Dessa maneira, a massa não mofará e durará bastante tempo.
Se em vez de lata a massa vier em recipiente de papel ou papelão, guarde sua sobra no mesmo recipiente em que veio; porém coloque-o dentro de um saco plástico bem fechado, e deixe no congelador, usando um pouco de cada vez, retornando-o para o congelador.
Assim vai durar perfeito por muito tempo.
Molho de tomate — Se você não quiser colocar um pouco de açúcar para tirar sua acidez, é só deixar sua panela destampada, enquanto ele está sendo preparado no fogo.
Saladas — Se você "errou a mão" e colocou molho demais na salada (qualquer salada), evite que ela fique encharcada, colocando no fundo da saladeira um pires invertido(virado ao contrário).
Sopa-creme de tomate — Quando quiser enriquecer com creme de leite e tornar mais sofisticada sua sopa-creme de tomate, evite que o creme de leite talhe, fazendo assim: na hora de misturar o creme de leite na sopa, coloque antes um pouco da sopa nesse creme desmanchando e misturando um pouco, e não jogue o creme de leite diretamente dentro da sopa.
VAGEM — Ao cozinhá-las para salada, acrescente à água 1 pitada de bicarbonato, pois, além de verdinhas, também ficarão bem macias. Mas tome cuidado para não cozinhá-las demais (cozinham muito depressa), senão ficam uma papa. E cozinhe com a panela destampada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário